Você conhece a dor sacro ilíaca?

Você conhece a dor sacro ilíaca?

Nos dias de hoje é muito difícil conhecer alguém que não reclame de dor causada por problemas na coluna, sejam eles de origem crônica ou aguda. A má postura no trabalho, a prática de atividades físicas sem supervisão e algumas doenças degenerativas, por exemplo, podem causar processos dolorosos nessa região tão importante do corpo. Dentro deste contexto, encontra-se um tipo de dor pouco divulgada, mas que causa bastante incômodo. Trata-se da dor sacro ilíaca. Você sabe o que é?

Conhecida no meio médico como a “dor esquecida”, é caracterizada por uma forte dor na região lombar, especialmente na área do glúteo, com predominância para um dos lados do corpo. Ganhou esse nome porque, embora tenha sido bastante difundida no início do século XX, com o avanço dos diagnósticos sobre outras áreas geradoras de quadros dolorosos, ela acabou sendo subjugada. E não deveria já que ela representa 20% dos quadros de dor na coluna lombar.

A dor sacro ilíaca pode ocorrer por diversos fatores, a exemplo de quedas que geram contusões nesta articulação – que é a maior do corpo humano e responsável por ligar base da coluna vertebral (osso sacro) aos ossos da bacia, chamados ilíacos. Outra causa comum é a frouxidão de ligamentos no pós-parto da mulher, podendo também ser consequência de doenças inflamatórias ou reumatológicas na forma de sacroilíete e espondilite anquilosante.

Mais comum em mulheres entre 30 e 60 anos, a dor sacro ilíaca gera limitação para os movimentos de sentar e levantar (com piora do quadro ao permanecer sentado por ação do peso sobre o glúteo) e também a realização de movimento rotacional, bem como para permanecer deitado, dificultando dormir sobre a região atingida.

Para diagnosticar esta disfunção é necessário um exame clínico em que o médico especialista realiza algumas manobras com o corpo para checar se a dor é intensificada. Caso três desses movimentos façam a dor aumentar, é indicado o uso de analgésico opioide a fim de reduzir os sintomas. O alivio da dor a partir da medicação é que confirma por completo o diagnóstico.

Feito isso, deve-se iniciar um tratamento para que a dor seja contida no longo prazo, onde se realiza infiltração de medicamentos à base de cortisona. Se a dor persistir, o paciente pode ser submetido a procedimento de lesão dos nervos que inervam a articulação sacro ilíaca – por meio de radiofrequência, ou ainda a cirurgia para a fusão do osso sacro da coluna com o osso Ilíaco do quadril.

} ?>

Deixe o seu Comentário

1 × três =