Porque a obesidade é fator de risco para a coluna?

A obesidade costuma ser bastante difundida por contribuir para o desenvolvimento de doenças cardíacas, diabetes e hipertensão arterial. Porém, pouco se divulga as suas interferências na coluna vertebral. Responsável pela sustentação do corpo, quando este está acima do ideal, sobrecarrega a região lombar, gerando processos inflamatórios e dolorosos, com desgastes que podem favorecer ao aparecimento da hérnia de disco, entre outras doenças. O fato pode ser comprovado pelo aumento de consultas nos consultórios, frente também ao aumento do volume de pessoas com sobrepeso e obesidade.

A Organização Mundial de Saúde já alertou para o crescente aumento de pessoas obesas no país, inclusive crianças. A obesidade é um dos principais fatores de risco evitáveis para uma série de doenças, o que inclui as doenças da coluna vertebral, particularmente a dor na coluna lombar.

Entre as consequências do sobrepeso estão a degeneração e o desgaste do disco vertebral, incluindo o estreitamento do espaço do disco, que pode gerar a lombalgia – dor na coluna, com desenvolvimento de hérnia de disco, caracterizados pela sobrecarga na musculatura e na parte óssea.

Em geral, quando diagnosticado mais precocemente, os casos mais simples podem ser tratados com remédios anti-inflamatórios, fisioterapia e ajuda de outras terapias corporais complementares. Mas nada será efetivo no longo prazo se não forem mudados os hábitos de vida para o devido emagrecimento.

Quando o problema se torna crônico e nenhuma terapia paliativa surte mais o efeito desejado, pode-se entrar com o arsenal cirúrgico, especialmente os endoscópicos ou minimamente invasivos.

Para finalizar, é preciso reforçar a máxima de que em saúde é melhor prevenir do que remediar e, neste caso, prevenir é cuidar-se para manter o peso saudável e o corpo ativo.

} ?>