Meditar, xingar, ser positivo e rir podem ajudar a aliviar a dor

Bem Estar – TV Globo

Saiba quando uma simples dor pode ter virado uma dor crônica.
Dor é o nosso quinto sinal vital.

Quem nunca sentiu aquela dorzinha na cabeça, no corpo… Mas e quando o analgésico não ajuda e essa dor continua? Por um, por dois, por três meses? Uma simples dorzinha pode ter virado uma dor crônica. Ela pode ter causa conhecida, como lesão, tumor, mas é gerada principalmente por lesão ou disfunção do sistema nervoso.

Para falar um pouco mais sobre dor crônica no Bem Estar desta segunda (18), convidamos o neurocirurgião do Centro de Dor e Neurologia Funcional do Hospital 9 de Julho Alexandre Elias e o psiquiatra e consultor do programa Daniel Barros.

A dor é o nosso quinto sinal vital. Analgésicos e anti-inflamatórios vendidos sem receita não são a melhor opção para quem tem dor crônica, pois podem causar eventos adversos no uso crônico, como disfunção renal. Por isso, devemos sempre buscar ajuda.

Existem várias maneiras de tirar o foco da dor. Elas não substituem os remédios, mas ajudam. Você sabia que xingar é bom? Além disso, meditar por 15 minutos ou mais, ter uma companhia agradável, ser positivo, otimista e viver experiências que provoquem muita risada podem ajudar a aliviar a dor.

Acupuntura é outra alternativa para aliviar a dor. As agulhas, aplicadas nos pontos certos, fazem com que o corpo trabalhe para diminuir a dor. Mas os efeitos são temporários. Em dois ou três dias, as dores vão começar a voltar, em menor intensidade. “[A agulha] produz um efeito anti-inflamatório, um efeito analgésico. Além desses efeitos, tem o efeito de relaxamento”, explica o médico ortopedista e acupunturista André Tsai.

Ver matéria original

} ?>