Dia Internacional da Terceira Idade: como evitar os problemas da coluna relacionados ao envelhecimento?

No próximo 01 de outubro é comemorado o Dia Internacional da Terceira Idade, data que preconiza melhores condições para os idosos viverem com mais qualidade. Na oportunidade, diversas entidades aproveitam para chamar a atenção para os cuidados com a saúde, alertando para a prevenção e tratamentos das doenças mais prevalentes nesta fase da vida, como as relacionadas à coluna vertebral.

De acordo com recente levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população de idosos (acima de 65 anos) irá quadruplicar no Brasil até o ano de 2060, o que reforça a necessidade de atenção às práticas preventivas e de e atendimento especializado d doenças relacionadas ao envelhecimento natural, que tendem a crescer junto com o aumento da expectativa de vida, e gerar crises diversas à população e à previdência social.

Dentro dos diversos processos degenerativos a que estamos sujeitos com o envelhecimento, a coluna tem papel de destaque, interferindo de forma importante nas nossas atividades funcionais. Artrite, artrose, osteoporose, espondilolistese, mielopatia cervical e osteófitos (bicos de papagaios) são algumas das doenças mais prevalentes na terceira idade, mas que podem ser evitadas ou adiadas com a prática de bons hábitos

Além de comer de alimentos saudáveis, manter o peso compatível com a estrutura corporal e ter uma rotina de exercícios, é importante ter atenção especial às atividades posturais – tanto para evitar sobrecargas e vícios errados de postura, como promover o seu fortalecimento.

Checkups para aferição de densitometria óssea e a reposição de cálcio para os casos de deficiência deste mineral são especialmente importantes nesta fase. Da mesma forma, as atividades de alongamento e musculação são importantes para garantir a flexibilidade, força e boa sustentação da coluna.

Para os casos em que a doença já se instalou e todas as terapias medicamentosas e de apoio físico já foram utilizadas, sem sucesso, ainda é possível a indicação da cirúrgica, que não tem restrição de idade, desde que o idoso esteja em boas condições clínicas.

Para tanto e considerando a evolução dos procedimentos operatórios, cada vez menos invasivos e com recuperação mais rápida, são avaliados o custo-benefício da cirurgia frente à funcionalidade que terá frente ao quadro atual do paciente.

Por fim, comece hoje a dar a devida atenção com a sua coluna vertebral a fim de ter mais chances de desfrutar de uma terceira idade com mais saúde e qualidade. Por que viver mais é bom, mas viver bem é essencial.

} ?>