Cirurgia na coluna: quando ela realmente é necessária?

Quem já não sofreu com dor nas costas? E quantos não têm problemas recorrentes? Alicerce do corpo humano, não raro a coluna vertebral sofre os efeitos de hábitos nocivos ou de doenças degenerativas. Devido ao grande número de pacientes, as doenças da coluna acarretam um grande impacto social e econômico. Provas disso são os diversos estudos na literatura médica apontando que 90% da população adulta irá apresentar algum problema na coluna pelo menos uma vez na vida. A boa notícia é que menos de 10% destes casos terão alguma indicação cirúrgica. Mas, afinal, você sabe quando a cirurgia é realmente necessária?

A hérnia de disco, a estenose do canal lombar e a mielopatia espondilótica continuam sendo as principais responsáveis por levar os pacientes às mesas cirúrgicas, mas não são todas as alterações em exames de imagem que levam ao procedimento. De maneira geral, as cirurgias são indicadas em última instância dentro do protocolo de tratamento, para pessoas que efetivamente não respondem às terapias conservadoras ou que possuam déficit neurológico e fraqueza progressiva dos membros.

A coluna acompanha o nosso envelhecimento e isso pode ser conferido em alterações nos exames de imagem, mesmo que estas não gerem dor. Mas, uma vez estabelecido um quadro doloroso e sua relação de causa, o médico deve seguir um roteiro de tratamentos que vão de medicamentos e atividades físicas até o procedimento cirúrgico.

Mesmo em caso de o paciente precisar se submeter a uma cirurgia, conta a favor o desenvolvimento de novas técnicas menos invasivas e com menos riscos, como as técnicas minimamente invasivas, que oferecem menos dor pós- operatória e recuperação bem mais rápida, com o paciente podendo andar no mesmo dia.

No entanto, caso o paciente se sinta inseguro antes da decisão de se submeter a um procedimento, ele tem o direito de buscar uma segunda opinião médica para elucidar suas dúvidas, mas é importante esclarecer que as cirurgias não vão substituir uma coluna doente por uma nova, mas sim melhorar o seu quadro.

Após a cirurgia, são receitadas medicações analgésicas e posteriormente reabilitação com fisioterapia, RPG e outras atividades físicas orientadas pelo médico.

Para quem quer manter a coluna saudável por mais tempo e evitar ao máximo a mesa cirúrgica, o especialista dá dicas simples que ajudam de forma importante, tais como: manter a coluna ereta durante todo o dia, caminhar alguns minutos a cada hora e atentar na postura quando pegar peso, especialmente do chão.

E, lembre-se, ao sinal dores frequentes na coluna, aparentemente sem ocorrências que a justifiquem, como quedas e torções, consulte um especialista na área para o diagnóstico precoce e o tratamento necessário.

} ?>