Artrose lombar: prevenir para não remediar

Cerca de 10 milhões de brasileiros apresentam artrose, e este número tende a aumentar com o aumento do sobrepeso, sedentarismo e envelhecimento da população. Também conhecida como osteoartrite, a artrose é caracterizada por inflamações e diminuições das cartilagens das articulações, ligadas a processos degenerativos que causam dor e limitação de movimentos.

As causas da artrose podem ser variadas e, além de poder ser uma inflamação consequente do desgaste da coluna, podem estar relacionadas a um processo doloroso que ocorre mesmo sem alterações degenerativas previamente estabelecidas, tendo também relação com a idade e a carga genética do indivíduo.

Entre os sintomas característicos da doença estão dores na coluna lombar, torácica e cervical, que, devido a compressão das raízes nervosas, se irradiam para os membros inferiores, e a rigidez dos membros, principalmente quando estão em inatividade. No entanto, no início, a artrose pode não apresentar sintomas, dificultando o precoce diagnóstico, que será essencial no resultado de seu tratamento.

O diagnóstico é baseado na história que o paciente conta ao médico, no exame clínico e, se necessário e com exames complementares como de sangue, ressonância magnética, raio-X ou tomografia.

Na grande maioria dos casos, a doença é tratada clinicamente, ou seja, por meio de medicamentos, que visam eliminar os quadros dolorosos, bem como com o auxílio de terapias físicas, como fisioterapia, acupuntura e afins. No entanto, casos que não respondem bem ao tratamento convencional podem ser encaminhados para procedimentos cirúrgicos, que hoje, com a evolução da medicina e da tecnologia, são cada vez mais seguros e menos invasivos.

A doença pode ser prevenida em alguns casos ou ter sua evolução contida, com a prática de hábitos saudáveis, especialmente de atividades físicas de baixo impacto que visam dar mobilidade e sustentação à estrutura da coluna, como caminhadas, alongamento, RPG e Pilates.

Ao sentir dores persistentes, sem motivo aparente que possa ter desencadeado, procure um especialista em coluna, que poderá confirmar o diagnóstico e prescrever o tratamento mais indicado para o seu caso.

} ?>